domingo, 22 de fevereiro de 2015

A PETROBRAS ESPERA LICENÇA PARA USINA EM GUAMARÉ


A Petrobras informou ontem que aguarda a publicação da “licença de comercialização” para a plena operação em escala comercial de usina de biodiesel no Rio Grande do Norte. A estatal controla uma unidade de produção no município de Guamaré que, até então, era utilizada apenas como planta experimental de novas tecnologias. O início da operação comercial foi adiado várias vezes.

“Para iniciar a plena operação em escala comercial, a usina aguardará a publicação da licença de comercialização, o que ocorrerá brevemente, capacitando a unidade a participar dos próximos leilões (de biodiesel) da ANP”, informou em nota, após reunião entre o presidente da Petrobras Biocombustível, Alberto Fontes, e o governador Robinson Faria, ontem. A unidade, segundo a Petrobras, acaba de receber a licença para operar comercialmente após passar por obras para ampliação e adaptações técnicas.

De acordo com a estatal, com a concessão da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira passada (13/2), a unidade de Guamaré triplica sua capacidade inicial, enquanto planta experimental, saltando de 7,2 milhões de litros de biodiesel ao ano para 20,1 milhões para produção comercial.

Com a ampliação, a Petrobras Biocombustível terá capacidade para cerca de 867 milhões de litros de biodiesel por ano, somando-se as capacidades produtivas das três usinas próprias, localizadas em Candeias (BA), Montes Claros (MG) e Quixadá (CE), e duas em parceria com a empresa BSBIOS, em Marialva (PR) e Passo Fundo (RS).

Desafio
“O desafio é a estruturação da cadeia produtiva do biodiesel no RN de forma sustentável, contribuindo com geração de novas oportunidades de renda e contribuindo com meio ambiente”, disse a Petrobras.

Nesse sentido, a Petrobras Biocombustível e a Liquigás Distribuidora promovem em parceria uma campanha de coleta de óleo de cozinha usado no Rio Grande do Norte.

Em outra parceria, desta vez com a Universidade Federal do RN, a companhia mantém, na cidade de Extremoz (RN), a 16 km de Natal, uma planta piloto para cultivo de microalgas para produção de biodiesel. As microalgas, disse a Petrobras, tem potencial de produção de óleo superior aos das espécies vegetais utilizadas na produção de biodiesel, aliado à absorção de CO2 e à limpeza da água. O projeto identificou cerca de 10 espécies de microalgas capazes de crescer em água de produção de petróleo, uma vez que serão cultivadas nesses tanques.

Em Guamaré, a usina de biodiesel foi inaugurada oficialmente no dia 19 de maio de 2006,  com a promessa de contribuir para o cultivo no Rio Grande do Norte de 11.500 hectares de mamona e 1.500 hectares de girassol, que seriam utilizados como matérias-primas para a produção de biodiesel – mas o projeto não prosperou e as cadeias produtivas perderam  força.

A primeira previsão para o começo da produção comercial de biodiesel no Estado era o primeiro semestre de 2013. Em setembro do mesmo ano, a estatal anunciou uma nova data de abertura, prevista para o início de 2014, o que não se efetivou. A última data divulgada foi setembro passado.


(***) FONTE: Tribuna do Norte

Um comentário:

Familia Rodrigues da Silva disse...

vai da td certo pois será um beneficio maior pra nossa cidade.e região.